22/07/2016

7 números que mostram potencial da energia eólica no Brasil

País já está na lista de maiores produtores de energia eólica do mundo

A participação da energia eólica na matriz energética mundial cresceu vertiginosamente na última década e se tornou sinônimo de energia limpa. Com o avanço da tecnologia e a diminuição constante do custo da geração eólica, a capacidade instalada global deu um salto de 58,6 gigawatts (GW), em 2005, para 432 GW, em 2015.

Na linha de frente dos países que se destacam na geração de eletricidade a partir da força dos ventos está a China, que expandiu sua capacidade eólica de 1,2 GW, em 2005, para 145 GW atualmente. Na segunda posição se encontra os Estados Unidos, com 72,6 GW de capacidade eólica instalada.

Neste cenário de crescimento global, em 2015 o Brasil adicionou 2,75 GW de energia eólica à produção nacional e se firma como a quarta nação do mundo onde essa fonte de energia mais cresce, ficando atrás apenas de China, Estados Unidos e Alemanha.

De acordo com o atual Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE2023), do Ministério de Minas e Energia, a capacidade instalada eólica brasileira chegará a 22,4 GW em 2023, com expansão média anual de 2 GW – a estimativa é que o valor represente 11,7% de toda a energia a ser gerada no Brasil.

Veja abaixo 7 números que já mostram o potencial da energia eólica no Brasil*:

  • 9,96 gigawatts é a capacidade eólica instalada no país;
  • 7%  – é a participação da fonte eólica na matriz elétrica brasileira;
  • 398 – é o número de parques distribuídos por 11 estados;
  • 11 milhões é a média de residências abastecidas por mês com energia eólica em 2015 suficiente para atender 33 milhões de habitantes;
  • Quase 17 milhões de toneladas de CO2 são evitadas anualmente**;
  • 22,4 gigawatts é a potência instalada que o Brasil deve atingir até 2023;
  • Cerca de R$ 60 bilhoes já foram investidos, com 140 mil postos de trabalhos criados.

*Dados da Associação Brasileira de Energia Eólica – ABEEólica.

**Correlação: a emissão de CO2 evitada corresponde à emissão anual equivalente a cerca de 11 milhões de automóveis, com valor exato de 16.982.890, com base em índices de correlação retirados de análise da Cetesb – 2014)