06/09/2016

Atlantic patrocina time de Rugby em Cadeira de Rodas

O Gladiadores Quad Rugby, de Curitiba, passa a contar com o apoio da empresa

A Atlantic é a nova patrocinadora do time de Rugby em Cadeira de Rodas Gladiadores Quad Rugby, uma das mais tradicionais equipes do Paraná. O patrocínio está alinhado com a visão de sustentabilidade da empresa e visa ampliar a visibilidade da modalidade no Brasil e na região onde a sede da empresa atua, em Curitiba, capital do Estado.

“Estamos felizes em patrocinar o time e colaborar para que o esporte tenha mais visibilidade no Brasil” afirma José Roberto de Moraes, CEO da Atlantic. “Somos uma empresa nacional e a inclusão social e o incentivo aos talentos locais são temas estratégicos e em linha com nossas crenças”, declara.

Além do apoio, a iniciativa também serve de estímulo para outras empresas. “Ao patrocinarmos o esporte paralímpico, acreditamos que podemos dar o exemplo, estimulando outras organizações e empresários a levantarem essa bandeira”, destaca o CEO da Atlantic.

O Time

Gladiadores Curitiba Quad Rugby é um projeto da Saúde Esporte Sociedade Esportiva, que junto com o time Titans Quad Rugby formam as equipes de Rugby em Cadeira de Rodas do Estado do Paraná.

Entre as principais conquistas da equipe Gladiadores Curitiba Quad Rugby estão o Campeonato Brasileiro e a Copa América de Clubes em 2013. O time é Campeão da Taça Cidade de Curitiba 2015, Vice-Campeão Brasileiro 2015, Vice-Campeã da II Copa Caixa Quad Rugby 2015.

O time de Rugby em Cadeira de Rodas existe no Paraná desde 2010. Desde de 2012 parte de seus integrantes passaram a compor a Seleção Brasileira Paralímpica.

Trata-se de uma modalidade nova no Brasil e ainda com pouca visibilidade, entretanto o time de Curitiba já teve bons resultados.  Os Gladiadores foram campeões brasileiros da modalidade em 2013.  O projeto atende atualmente 18 paratletas.

Convocação para as Paralimpíadas

Três atletas da equipe Gladiadores Curitiba Quad Rugby foram convocados para representar o Brasil nos Jogos Paralímpicos Rio 2016: Rafael Hoffmann, Anderson Kaiss (Tico) e Gilson Wirzma Jr.  “O coração está a mil e feliz por representar o Brasil nesse evento internacional”, destaca o atleta Anderson Kaiss, de 31 anos, que treina Rugby há quatro anos.

Essa é a primeira vez que o país vai participar dos jogos Paralímpicos no Rugby em Cadeira de Rodas. As equipes mais fortes do esporte são o Canadá e os Estados Unidos, os primeiros a praticar e difundir a modalidade, e a Austrália e a Nova Zelândia, países nos quais o Rugby convencional é muito praticado.

Sobre o Rugby em Cadeira de Rodas

O Rugby em Cadeira de Rodas, também chamado de Quad Rugby, é uma modalidade coletiva, criada especialmente para atletas com grande comprometimento físico, que não tinham chances de praticar o basquete em cadeira de rodas.  Desde 1996 integra o programa Paralímpico e podem praticar a modalidade pessoas com lesão na medula espinhal, em nível cervical, congênitos ou lesão que comprometa os quatro membros.

A modalidade nasceu na década de 70, em Winnipeg, no Canadá, e foi desenvolvida para atletas tetraplégicos ou tetraequivalentes. Assim como no Rugby convencional, o esporte para cadeirantes possui muito contato físico, mas somente entre as cadeiras de jogo. Não é permitido o contato entre os jogadores. São quatro atletas em cada equipe em quadra, que contam com oito reservas cada.

Homens e mulheres jogam juntos. Não existe modalidade feminina ou masculina. Os jogadores são categorizados em sete classes a depender da habilidade funcional. As classes superiores são destinadas aos atletas que têm maiores níveis funcionais e as classes mais baixas são para jogadores de menor funcionalidade.

Para saber mais sobre a modalidade, visite http://www.brasil2016.gov.br/pt-br/paraolimpiadas/modalidades/rugbi-em-cadeira-de-rodas