03/02/2017

Brasil tem 10,74 GW de capacidade instalada de energia eólica

Outros 7,23 GW devem entrar em operação até 2020. Setor é responsável por 7,1% de toda a matriz brasileira

O Brasil terminou o ano de 2016 com 10,74 GW de capacidade instalada de energia eólica distribuídos em 430 parques, o que representa 7,1% de toda matriz energética do país. Os dados são do último boletim “Dados Mensais ABEEólica”, divulgado em janeiro. O relatório aponta também para um total de 7,23 GW contratados que devem entrar em operação até 2020, distribuídos em 310 parques.

No Rio Grande do Norte, estado com maior capacidade instalada de energia eólica do país, os parques da Atlantic Eurus II e Renascença V completaram, em janeiro, 2 anos de operação. Cada um deles tem 30 MW de capacidade instalada. Na Bahia, segundo estado com maior participação, o Complexo Eólico Morrinhos possui 180 MW de capacidade instalada e está em operação desde agosto de 2015.

Os estados que atualmente têm maior capacidade instalada são: Rio Grande do Norte, com 3,3 GW em 125 parques instalados; Bahia, 1,75 GW em 73 parques; e Ceará, 1,63 GW em 68 parques. Também despontam no cenário nacional o Rio Grande do Sul, com 1,56 GW em  72 parques, e o Piauí, com 854,4 MW distribuídos em 33 parques. Em relação à potência em construção (isto é, os parques em fase de obras e os contratados), os estados que se destacam são Bahia (150 parques), Rio Grande do Norte (50), Piauí (34) e Ceará (37).

A participação da energia eólica no país está em constante crescimento e essa tendência positiva deve se manter nos próximos anos. Sua importância é destacada no Nordeste, região em que mais da metade da energia gerada em 2016 veio da força dos ventos, fator fundamental para evitar o racionamento energético. Além dos parques Eurus II e Renascença V, que operam no Rio Grande do Norte, e o Complexo Eólico Morrinhos, na Bahia, a Atlantic tem em fase de implementação o Complexo Eólico Lagoa do Barro, no Piauí, que terá 195 MW de capacidade instalada. O Nordeste concentra 342 dos 430 parques eólicos do país.

Segundo o boletim divulgado pela ABEEólica, a energia gerada pelos ventos até novembro de 2016 foi de 4,58 GW médios e o fator de capacidade médio dos parques no período foi de 40,8%, número superior à média mundial. A quantidade de energia eólica gerada nos últimos 12 meses também evitou uma emissão de CO2 equivalente a mais de 10 milhões de automóveis.