17/04/2017

Complexos Eólicos da Atlantic inovam ao trazer fábricas de componentes para dentro das obras

Economia de gastos e mais agilidade nas obras são alguns dos benefícios da medida

Os Complexos Eólicos Santa Vitória do Palmar (Rio Grande do Sul) e Lagoa do Barro (Piauí), além de fornecerem energia limpa e renovável com tecnologia de ponta, têm outro diferencial: uma fábrica de componentes eólicos dentro do próprio canteiro de obras, o que traz ganhos logísticos e financeiros aos empreendimentos.

As fábricas são da Nordex-Acciona e produzem dovelas, componentes de 20 metros de altura e que compõem as torres dos aerogeradores. “Essas peças são fabricadas em concreto armado de alta resistência e passam por um rigoroso controle de qualidade”, diz Armando Barros, gerente de obras do Complexo Eólico Santa Vitória do Palmar.

“A fábrica de torres de concreto em obras é um conceito inovador e tem entre os benefícios a redução de custos com transporte e melhor gerenciamento da produção, tanto no prazo como na qualidade, além de reduzir o risco de atraso na entrega dos componentes”, explica. Outra vantagem é possibilitar o desenvolvimento da economia regional através do uso de insumos e de mão-de-obra locais. “Isso agrega valor ao projeto e está diretamente conectado com a missão e valores da empresa”, afirma Armando.

“Os veículos que transportam o produto acabado percorrem distâncias menores, normalmente dentro dos próprios complexos eólicos, evitando o trânsito em cidades, povoados e rodovias. As necessidades de pernoite e/ou paradas durante o deslocamento e o risco de acidente ou dano a carga também são menores”, explicam Rafael Paixão, gerente da fábrica de Dovelas da Nordex-Acciona, e Rafael Fonseca de Campos, Site Manager da empresa.

Tantos ganhos logísticos resultam em uma economia considerável, já que os veículos usados para transportar as dovelas são caros e específicos. Segundo os técnicos da Nordex-Acciona, as distâncias menores e mais seguras afetam diretamente os preços e prazos de contratação.

Os complexos

O Complexo Eólico Santa Vitória do Palmar, no Rio Grande do Sul, é o maior empreendimento da Atlantic até o momento. Em obras desde agosto de 2015, ele prevê a construção de 69 aerogeradores com potência de 3 MW (megawatts) cada, totalizando 207 MW de capacidade instalada divididos em 12 parques eólicos. A implementação deverá ser finalizada até o fim de 2017 e, dado o estágio avançado das obras, a fábrica de dovelas deve ser descontinuada no mês de maio.

Já o Complexo Eólico de Lagoa do Barro, localizado no Piauí, terá 195 MW de capacidade instalada, divididos em 8 parques eólicos e 65 aerogeradores de 3 MW cada. O empreendimento poderá gerar até 500 empregos diretos e indiretos e o investimento previsto da Atlantic é de R$1,3 bilhão. A implementação está prevista para ser iniciada ainda no 1° semestre de 2017.