29/07/2016

Energia eólica abastece cerca de 30% do Nordeste

Energia elétrica gerada a partir dos ventos é responsável pelo abastecimento de cerca de 19 milhões de habitantes da região

O Nordeste do Brasil se destaca cada vez mais no setor de energia eólica. Com ventos abundantes e de qualidade (fortes e constantes), hoje, a eletricidade gerada pelos parques eólicos em operação abastece cerca de 30% da região.

O crescimento na região teve um pico no último dia 22 de junho. Na ocasião, o Informativo Preliminar Diário da Operação do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) indicou que a geração de energia eólica bateu recorde no Nordeste, com produção de 4.392 megawatts (MW) médios, o suficiente para atender cerca de 19 milhões de habitantes da região, que atualmente abriga mais de 56 milhões de pessoas.

No atual ano, as eólicas vêm batendo siguidos recordes de geração, seguindo a expansão do setor, que ocorre no Brasil em acelerado crescimento desde 2009, com o impulso ocasionado por leilões dedicados a essa fonte de energia. De acordo com dados da ABEEólica (Associação Brasileira de Energia Eólica), investimentos de R$ 67 bilhões ajudaram o Brasil a se posicionar como a 10ª nação do mundo com maior capacidade instalada.

Para se ter uma ideia do crescimento ocorrido no periodo, até 2008 a potência na matriz eólica brasileira era de 27 MW, e no último mês de maio o Brasil alcançou a marca de 9,84 gigawatts (GW). No total, são 393 usinas e 5.141 turbinas instaladas no território nacional. Cerca de 82% delas estão no Nordeste.

Atlantic no Nordeste

A Atlantic Energias Renováveis possuí três projetos eólicos em operação no Nordeste: os parques Eurus II e Renascença V, no Rio Grande do Norte (ambos entraram operação em janeiro de 2015 e têm potência instalada de 30 megawatts cada); e o Complexo Eólico Morrinhos, na Bahia, com 180 MW de potência instalada.

Em abril de 2016 a empresa assinou convênio de regularização das terras que receberão mais um projeto na região Nordeste: o Complexo Eólico Lagoa do Barro, localizado no sertão do Piauí. Com investimento de R$ 1,3 bilhão, o complexo  receberá oito parques eólicos com 195 MW de potência instalada. O início das operações no Piauí está previsto para abril de 2018.