20/01/2016

Energia eólica deve gerar cerca de 40 mil empregos em 2016

Com o crescimento de 60%, setor de energia eólica está na contramão da crise econômica

O setor de energia eólica prevê crescimento de cerca de 60% em 2016, expandindo os atuais 7,6 gigawatts (GW) em operação para 12,6 GW até o final do ano. O aumento será maior no Nordeste e no Sul do país, onde os ventos são mais fortes. Serão cerca de R$ 20 bilhões em investimentos, garantidos por contrato, e mais de 40 mil empregos diretos e indiretos criados.

Somente em 2014 a energia eólica abasteceu 6 milhões de casas no Brasil e evitou que toneladas de gás carbônico fossem emitidos no meio ambiente. Nos próximos anos, a energia gerada a partir dos ventos ganhará cada vez mais força. A Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) prevê que em 2024 a energia eólica produza 24 mil GW, o que representa 11% da matriz elétrica do país.

A força dos ventos também gerou bons resultados para a Atlantic Energias Renováveis. Em dezembro de 2015, a empresa deu início à operação do Complexo Eólico Morrinhos, na Bahia (180 MW), e iniciou a implantação do Parque Eólico Santa Vitória do Palmar, no Rio Grande do Sul, com potência de 207 MW e com início de operação prevista para 2018. “A cada ano a Atlantic torna-se mais competitiva no mercado de energias renováveis. O plano de negócios da empresa conta com investimentos de R$ 1,66 bilhões programados até 2018 e planejamos implantar e operar 650 MW em eólicas até o final do mesmo ano”, diz o CEO da empresa, José Roberto de Moraes.