18/03/2016

Energia eólica gerada no Brasil equivale a quase uma Belo Monte

País alcança marca de 9GW de potência instalada na matriz energética nacional

O Brasil depende basicamente das hidrelétricas e das termolétricas para produzir energia. No entanto, a crise hídrica deixou clara a necessidade de diversificar a matriz energética do país. Neste cenário, a energia eólica ganha cada vez mais destaque no conceito de energia renovável complementar . Em 2015, o país completou a instalação de 9 gigawatts (GW) de potência em sua matriz energética, o que equivale a quase uma Belo Monte (segunda maior usina hidrelétrica brasileira, com 11GW de potência instalada).

Os altos investimentos de instituições como o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que fechou 2015 com aplicações em torno de R$ 7,42 bi em projetos eólicos, e contratações expressivas nos leilões de energia promovidos pelo Governo Federal, permitiram que a energia gerada a partir dos ventos aumentasse em 46% sua capacidade instalada no mesmo ano. Hoje, a energia eólica representa 5,4% da capacidade total instalada de geração elétrica no Brasil – o suficiente para atender ao consumo residencial de uma região de 30 milhões de habitantes.

A perspectiva do setor é que nos próximos quatro anos mais 10 GW de potência eólica sejam instalados no país, alcançando 10% do total da matriz elétrica nacional. De acordo com estimativa do Governo, presente no Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE), a capacidade eólica instalada no Brasil deve chegar a 24 GW em 2024.

* Dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) divulgados em 15 de fevereiro.