08/10/2019

Energia sustentável e acessível até 2030 é meta da ONU

Foco na expansão de energia renovável

A geração de energia sustentável ainda é um desafio em nível global. No Brasil, por exemplo, a energia gerada por fontes eólica e solar corresponde somente a 22% da matriz energética. Porém, este panorama deve mudar até 2030, considerando a concretização de um dos dezessete Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ONU), o qual prevê assegurar o acesso confiável, sustentável, moderno e a preço acessível à energia para todos. 

Estes objetivos fazem parte da Agenda 2030, um compromisso firmado por 193 líderes mundiais em 2015, na Cúpula das Nações Unidas, em Nova York, com o intuito de “acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar para todos, proteger o meio ambiente e enfrentar as mudanças climáticas”.

Os dezessete objetivos contemplam uma visão macro sobre o desenvolvimento humanitário por meio de ações ligadas à educação, saúde, cidadania, meio ambiente e tecnologia. São eles: (1) Erradicação da pobreza; (2) Fome zero; (3) Saúde e bem-estar; (4) Educação de qualidade; (5) Igualdade de gênero; (6) Água potável e saneamento; (7) Energia limpa e acessível; (8) Trabalho decente e crescimento econômico; (9) Indústria, inovação e infraestrutura; (10) Redução das desigualdades; (11) Cidades e comunidades sustentáveis; (12) Consumo e produção responsáveis; (13) Ação contra a mudança global do clima; (14) Vida na água; (15) Vida terrestre; (16) Paz, justiça e instituições eficazes; e (17)  Parcerias e meios de implementação.

No que diz respeito ao uso da energia limpa e sustentável, a Organização das Nações Unidas ressalta não somente a acessibilidade e redução dos preços, mas, especialmente, a cooperação entre as nações para facilitar o acesso a pesquisa e tecnologias de energia limpa, promovendo o investimento em infraestrutura de energia e em tecnologias de energia limpa. Sobretudo, a ONU enfatiza a necessidade de modernização e expansão da infraestrutura para o fornecimento de serviços de energia sustentáveis aos países em desenvolvimento, principalmente dos menos desenvolvidos.

Este compromisso reflete os valores da Atlantic Energias, que reduziu em 23% a emissão de GEE de 2017 para 2018 com o fim das obras de Lagoa do Barro. O report das informações da companhia resultou na conquista do Selo Prata no Programa Brasileiro GHG Protocol, desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas, fato que demonstra o comprometimento da Atlantic com o tema.

Além da geração de energia, temos 29 programas que desenvolvem ações sociais e ambientais em Morrinhos, Eurus II, Renascença V, Lagoa do Barro e Santa Vitória do Palmar, os quais também estão ligados aos ODS da ONU, sendo: 

Deste modo, reiteramos nosso comprometimento com a Agenda 2030, honrando o compromisso com um futuro de crescimento responsável para todos.