15/04/2016

Investimento mundial em energias renováveis bate recorde

Fontes limpas receberam US$ 286 bilhões em aplicações em 2015, mais que o dobro recebidos por usinas de carvão e a gás

Energias renováveis são opções mais competitivas, sustentáveis, seguras e eficientes para atender a crescente demanda por energia elétrica no mundo. O investimento em fontes limpas − como biomassa, eólica e solar – bateu recorde mundial em 2015, chegando ao valor de US$ 286 bi. Os dados são do relatório do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), que mostra uma mudança em curso na produção de energia no planeta. O aumento aconteceu mesmo com uma queda nos preços do petróleo e do gás natural, com a economia da Europa ainda enfraquecida e com o fortalecimento do dólar, que reduziu o valor de investimentos em outras moedas.

Esses investimentos somam mais que o dobro dos recebidos por usinas de carvão e a gás (US$ 130 bi). A maior parte da verba, pela primeira vez, circulou entre os países em desenvolvimento. Neles, o incentivo à energia limpa aumentou 19%. Já nas nações desenvolvidas, o índice diminuiu 8% no mesmo período.

Os países que ostentaram maior aumento do investimento em energias renováveis no ano passado foram: China (que elevou as verbas para o setor em 17%, atingindo US$ 102,9 bilhões), Índia (22%, chegando a US$ 62 bilhões) e África do Sul (329%, alcançando US$ 4,5bilhões).

No Brasil, o Programa de Investimentos em Energia Elétrica, do Governo Federal, lançou um pacote com foco no setor de energia para os próximos quatro anos (AGO/2015 a DEZ/2018), que soma R$ 186 bi em investimentos. O país investe pesado na geração e transmissão de energia limpa para criar um sistema elétrico de baixo custo, mais competitivo e com matriz diversificada para atingir as metas da Conferência do Clima (COP-21), realizada em dezembro de 2015, em Paris.

O acordo global traçado na COP-21 deve inspirar a troca de usinas a carvão por outras dedicadas à energia eólica e solar. Ao divulgarem quais medidas tomarão para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, a maioria das nações se comprometeu a mudar sua forma de gerar eletricidade.