05/08/2016

Investimentos nacionais em eólica somam 28 bilhões de dólares em dez anos

Brasil é atualmente o quarto maior investidor do mundo nessa fonte de energia renovável

Os investimentos em energia eólica no Brasil já somam US$ 28 bilhões nos últimos dez anos. No ano passado foram US$ 5 bilhões, valor que tirou o país da décima posição e o levou para a quarta na lista dos maiores investidores em energia elétrica gerada pelos ventos. Hoje o primeiro lugar é da China, seguido da Alemanha e dos Estados Unidos.

No total, são 349 usinas eólicas em operação no Brasil. Em 2015, houve o crescimento de 46% de potência instalada em relação a dezembro de 2014 e o país fechou o ano com 8,7 gigawatts (GW) de potência. A capacidade deve saltar de 11,6 GW em dezembro deste ano para 18,8 GW em 2019.

Com 652 MW de potência vendida em projetos na Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, a Atlantic Energias Renováveis é destaque neste cenário: o Complexo Eólico Santa Vitória do Palmar, com 12 parques eólicos e capacidade de 207 MW, deve entrar em operação a partir do próximo mês. O Complexo Eólico Lagoa do Barro, no Piauí, também está em implantação e contará com oito parques que produzirão 195 MW.  O início das operações está previsto para abril de 2018.

O Fundo Britânico Actis investe no setor eólico no país desde 2013 e em junho deste ano passou a deter 100% da Atlantic. “Estamos satisfeitos por ampliar nosso compromisso com o maior mercado de energia elétrica da América Latina”, afirma o co-head de energia da Actis, Michael Till.

De acordo com o Plano Decenal 2024, elaborado pela Empresa de Pesquisas Energéticas (EPE), a energia eólica responderá por 11% da matriz nacional daqui a oito anos (a hidrelétrica responderá por 58%, a solar por 3% e as térmicas por 14%).