07/04/2014

Nordeste é maior produtor de energia eólica no Brasil; Ceará aparece em 3º no País

A falta de chuvas e a realidade da seca no Brasil fez o governo federal ligar usinas mais caras em outubro de 2013. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o acionamento das usinas térmicas no último mês custou R$ 8,6 bilhões. Tudo isso ocorreu devido à queda do nível dos reservatórios das hidrelétricas. […]

A falta de chuvas e a realidade da seca no Brasil fez o governo federal ligar usinas mais caras em outubro de 2013. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o acionamento das usinas térmicas no último mês custou R$ 8,6 bilhões. Tudo isso ocorreu devido à queda do nível dos reservatórios das hidrelétricas.

Em busca de um maior barateamento do valor e um melhor serviço, o Brasil investe em energias renováveis limpas como a solar e a eólica, por meio de leilões. Segundo a presidente executiva da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica), Elbia Melo, a fonte eólica complementa as usinas hidrelétricas. “As usinas eólicas dão segurança na transmissão da energia, em comparação com as térmicas. A matriz está sendo expandida nessa ótica, com energia segura, limpa renovável e competitiva”, afirmou.

Favorecido pela natureza, o Brasil vem enfrentando as barreiras e investindo nesse tipo de energia. “Nos últimos anos, os projetos de hidrelétricas têm se esgotado. Isso se aliando ao fato de que o custo para a eólica é três ou quatro vezes menor do que há três anos, faz com que a eólica seja a segunda fonte mais competitiva no país. Hoje, o valor do Megawatt (MW) da eólica custa R$ 110, enquanto o da hidrelétrica está entre R$ 100 e R$ 105”, declarou.

No ranking internacional de produção eólica, o Brasil ocupa a 15ª posição, gerando 2,5 Gigawatt (GW). Esse tipo usina é a quinta mais investida no país, com apenas 3% da geração total de energia. A primeira fonte é a hidrelétrica, com 68% da cobertura. “Os investimentos em energia eólica são muito recentes. Não havia antes, porque era muito caro. A tecnologia evoluiu muito nos últimos anos e se tornou acessível”, disse Elbia.