01/04/2016

Obra do Complexo Eólico Santa Vitória do Palmar segue a topo vapor

Maior projeto eólico da Atlantic, no extremo sul do país, conta com soluções inovadoras de engenharia

O maior complexo eólico da Atlantic Energias Renováveis está em implantação em Santa Vitória do Palmar, no Rio Grande do Sul.  São doze parques eólicos em obras em área próxima ao Chuí, onde o Brasil faz fronteira com o Uruguai.  O complexo deverá entrar em operação em setembro deste ano e contará com 69 aerogeradores, que, juntos, serão responsáveis por 207 megawatts (MW) de potência.

Henrique Theodorovicz, Gerente de Desenvolvimento da Atlantic, ressalta que a obra possui vários diferenciais. “Implantamos um novo conceito de gerenciamento de projetos cuja filosofia se baseia na transparência de informações. Assim, colaboradores e diretores da companhia, fornecedores e acionistas estão alinhados de forma que todos podem apresentar soluções em tempo hábil para os imprevistos que possam surgir”, diz.

Os conceitos aplicados na engenharia da obra também são inovadores na região. A fundação direta, sem uso de estacas, é uma das primeiras no estado do Rio Grande do Sul. A Atlantic investiu no estudo da sondagem geotécnica para identificar as características do terreno e contratou uma empresa espanhola especializada em fundação direta para executar o projeto. A solução tem duas grandes vantagens: menor custo e menos tempo de execução.

Há, ainda, a fábrica de torres dentro da própria obra: “a planta que produz as torres de concreto, que tem custo inferior às de aço, permite que qualquer desvio no fornecimento seja fiscalizado e isso acelera o processo de tomada de decisões”, explica Henrique. Os aerogeradores do Complexo Santa Vitória do Palmar terão 120 metros de altura e cada um terá potência de 3MW.