19/07/2018

Primeira fase do projeto Ecofossas é concluída no RN

Moradores contemplados já vivenciam resultados positivos

Saneamento básico é essencial para qualidade de vida. Mas quase metade (48,1%) da população brasileira não tem acesso ao serviço, segundo dados divulgados em 2018 pelo Instituto Trata Brasil. Foi exatamente para mudar essa realidade que a Atlantic Energias Renováveis criou o Programa de Saneamento Rural.

Em junho, a primeira e principal etapa do projeto foi concluída com êxito nas comunidades de São Francisco, Bom Trabalho, Açucena e Maria da Paz, que ficam nos arredores dos Parques Renascença V e Eurus II, implantados, respectivamente, nos municípios de Parazinho e João Câmara, no Rio Grande do Norte. A iniciativa contempla 128 residências.

Nesta fase, a empresa mobilizou as comunidades, promoveu treinamento para ensinar como as fossas ecológicas são instaladas e forneceu materiais e equipamentos que compõem o sistema. Depois da preparação, as Ecofossas foram instaladas em conjunto com a vala de infiltração. O mecanismo é responsável pelo tratamento do efluente que será reaproveitado pela terra em prol da agricultura, resultando na economia de água.

As Ecofossas tratam o esgoto ecologicamente, dispensando o uso de produtos químicos e refletindo na proteção do solo, dos recursos hídricos e da saúde das pessoas. Em breve, os beneficiados também poderão fazer a própria compostagem de adubo. Para isso, eles serão capacitados tecnicamente e contarão com quintais produtivos, implantados na segunda fase, que está em andamento.       

No quintal de Raimundo Cruz, morador do Assentamento de Bom Trabalho, os sinais verdes do Programa de Saneamento Rural estão no crescimento do pé de cajá, limão e da pinheira. Enquanto isso, o que chama a atenção de Lucimar Rodrigues, do Assentamento de São Francisco, são os mamoeiros. Embora as plantações sejam diferentes, a opinião sobre o projeto é a mesma: tudo ficou mais fácil.

Bruno Koga, Analista de Sustentabilidade da Atlantic, enxerga o sucesso das Ecofossas como fruto de um trabalho intenso de mobilização junto às comunidades. “Além de proporcionar maior fluidez aos processos, a participação ativa dos moradores locais nos motiva ainda mais a continuar desenvolvendo projetos socioambientais que melhorem o cotidiano da população”, enfatiza Koga.

A iniciativa da empresa também contribui diretamente para o cumprimento de Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) específicos, como acabar com a fome, difundir a agricultura sustentável, assegurar a saúde e o bem-estar e universalizar o acesso a saneamento.

Assista a seguir um vídeo com relatos dos moradores que receberam as ecofossas: