26/08/2016

Produção de energia eólica no Brasil cresce 53% em 2016

Entre janeiro e maio deste ano, a fonte eólica gerou 2.703 MW médios; em 2015, no mesmo período, foram 1.762 MW médios gerados

Números da produção de energia eólica continuam em alta no Brasil onde encontram-se regiões atraentes para o setor, que tem participação de 7% na matriz elétrica nacional. De acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), entre janeiro e maio de 2016, a produção de energia gerada pelos ventos no Sistema Interligado Nacional (SIN) cresceu 53%. Usinas dessa fonte geraram 2.703 MW médios frente aos 1.762 MW médios no mesmo período em 2015.

O país conta com 399 empreendimentos eólicos atualmente, que somam 9.980 MW de potência instalada na matriz nacional – dados da Associação Brasileira de Energia Eólica (ABBEólica). Esse número corresponde a uma expansão de 46,5% em comparação aos 6.211 MW registrados em maio de 2015, quando havia 244 empreendimentos em operação.

Líderes de geração eólica

O boletim consolidado da CCEE também indica que o Estado do Rio Grande do Norte é o maior produtor de energia eólica do Brasil, gerando um total de 960 MW médios em maio desse ano – um aumento de 35,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Em seguida aparecem: Bahia, com 712,6 MW médios; Ceará, com 470 MW médios; e o Rio Grande do Sul, com 461 MW médios gerados no mesmo mês.

Junho também foi destaque para Atlantic Energias Renováveis. Segundo dados organizados pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), dois projetos da Atlantic em operação no RN – Eurus II, no município de João Câmara, e Renascença V, em Parazinho – alcançaram fator de capacidade de 61%, o mais alto do Estado. Esse resultado é um marco importante para Atlantic, que mantém o compromisso de fornecer energia limpa e confiável.